Posts Em Destaque

OUÇO

February 8, 2016

Ouço.
Apenas isso.
Olhos fechados.
Parado na rua do meio.
Ouço meu engolir de saliva.
Celulares tocando, tocando, vibrando.
Helicópteros. Dois. Ou três. Acho que seis.
Batida de carro em caminhão. E versa e vice.
Construções sendo desconstruídas.
Risos serenos.
Prédios semi-novos.
Estátua viva piscando.
Risos que são como sirene de bombeiro.
Sirene de bombeiro.
Buzinas.
Motores possantes e motores fundidos fodidos.
Sirene de polícia militar.
Sirene de polícia civil.
Sirene de polícia federal.
Porta batendo.
Ambulância gemendo a dor de uma semi-morte que carrega na barriga.
Janela abrindo.
Sinfonia de sirena com buzina.
Batida de pedestre em ciclista.
Batida de morango com açaí e banana e granola e leite ninho.
Risos coletivizados.
Sussurros gritados.
Jogadas de cabelos pra trás.
Protestos pró/por/pra/pela/contra/faz/um/favor
Vento que vem de longe e chega cansado, passado.
Algo caiu no chão, uma agenda, um bituca, uma mutuca ou um corpo.
Um refrão de uma música de um cantor que já morreu num ontem.
Segredos alheios já esquecidos (os segredos dos desconhecidos são segredos?)
Esperas com os pés batidos no chão de grama ex-asfaltado.
Clicks de selfs sem cara/rosto/batom/sorriso/jóinha.
Freadas na linha de chegada.
Coceiras aliviadas por unhas vermelhas.
Tá lá um corpo correndo/marchando/mancando.
Salto alto percussionando o chão.
Uma bolsa caindo espalhando seus excessos por todos os cantos, ouço o quicar de cada objeto e só consigo identificar o celular parido e os óculos deslenteados.
A translação e a rotação fazem o barulho mais silencioso que existe na face da Terra.
Uma oração por santos com cara de dor.
Uma pomba assustando a velha que esqueceu o milho.
Uma reza pra pastores com cara de escritores de livro de ajuda-auto.
Crianças chorando, berrando, rindo, cantando, dormindo, roncando, nascendo.
Bocejos/Palmas/Gracejos.
Relógio apitando.
Deu a hora.
Podia ouvir mais, mas…
Abro os olhos.
Andei alguns passos sem perceber.
Talvez tenha dançado estranho.
Agora caminho/corro/flutuo.
Ouço de olhos abertos fingindo ter destino enquanto sigo os des-sons.
E no meio de tudo, do tudo, do todo, na curva, por um milésimo ouço.
Sem dúvida.
Tão calado.
O silêncio.

Please reload

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Posts Recentes

November 6, 2019

September 17, 2019

September 12, 2019

September 9, 2019

August 19, 2019

August 12, 2019

August 5, 2019

August 2, 2019

June 16, 2019

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square